sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Sexta-feira.

Em dias assim,
Eu gostaria de não possuir as mãos tão geladas,
Nem a boca seca
E estes meus olhos perdidos ainda vagam sem foco,
Submersos
Nestes meus pensamentos sem fôlego,
Aprisionados nesse corpo atado
Numa sexta-feira que não se acaba...

Nenhum comentário: