terça-feira, 30 de agosto de 2011

Favor não confundir histriônicos com artistas de verdade.

Hoje o post é longo porque eu preciso primeiro formar-lhes pelo menos uma idéia básica do conceito sobre o qual vou desenrolar o tema de hoje. A fonte é Wikipédia, pois é um resumo honesto e bem feito. Vejamos:

"Transtorno de personalidade histriônica é definido pela Associação Americana de Psiquiatria como um transtorno de personalidade caracterizado por um padrão de emocionalidade excessiva e necessidade de chamar atenção para si mesmo, incluindo a procura de aprovação e comportamento inapropriadamente sedutor, normalmente a partir do início da idade adulta. Tais indivíduos são vívidos, dramáticos, animados, entusiásticos e paqueradores.
Podem ser também inapropriadamente provocativos sexualmente, expressarem emoções de uma forma impressionável, e serem facilmente influenciados por outros. Entre as características relacionadas estão egocentrismo, auto-indulgência, anseio contínuo por admiração, e comportamento persistente e manipulativo para suprir suas próprias necessidades.

Características
Pessoas com este transtorno em geral são capazes de conviverem normalmente e alcançarem sucesso social e profissional. Indivíduos com transtorno de personalidade histriônica geralmente possuem bons dotes sociais, mas tendem a usá-los para manipular os outros e tornaram-se o centro das atenções.[1] Mais além, o transtorno pode afetar os relacionamentos sociais ou românticos de uma pessoa, assim como sua habilidade em lidar com perdas ou fracassos.


Elas começam bem relacionamentos, mas tendem a hesitar quando profundidade e durabilidade são necessários, alternando entre extremos de idealização e desvalorização. Com o fim de relações românticas podem buscar tratamento para depressão, embora isto não seja de forma alguma uma característica exclusiva a este transtorno.

Elas frequentemente não conseguem visualizar sua própria situação pessoal de forma realista e tendem, ao invés disso, a dramatizar e exagerar suas dificuldades. Podem passar por frequentes mudanças de emprego, pois entediam-se facilmente e têm problemas em lidar com a frustração. Por costumarem ansiar por novidades e excitação, podem colocar-se em situações de risco. Todos esses fatores podem aumentar o perigo de desenvolvimento de depressão.


Entre os sintomas adicionais estão:
Comportamento exibicionista;


Busca constante por apoio ou aprovação;


Dramatização excessiva com demonstrações exageradas de emoção, tais como abraçar alguém que acabou de conhecer ou chorar incontrolavemente durante um filme triste;
Sensibilidade excessiva frente a críticas ou desaprovações;


Orgulho da própria personalidade, relutância em mudar e qualquer mudança é vista como ameaça;


Aparência ou comportamento inapropriadamente sedutor;


Sintomas somatoformes, e utilização destes sintomas como meio de chamar atenção;


Necessidade de ser o centro das atenções;

Baixa tolerância à frustração ou à demora por gratificação;


Rápida variação de estados emocionais, que podem parecer superficiais ou exagerados a outrem;


Tendência em acreditar que relacionamentos são mais íntimos do que na realidade são;



Leu? Agora vamos aos fatos. Eu observo muito as pessoas, seja para retrata-las, seja para conhecê-las e um detalhe sempre me chama a atenção, até que hoje, percebo que é um comportamento repetitivo em pessoas com mesmas características.
 
Fato um - Existem muitos histriônicos de talento artítisco inquestionável.
Fato dois - Existem muitos histriônicos sem talento algum.
Fato três - Existem muitos histriônicos sem talento algum que tentam nos convencer do contrário.
Fato quatro - E eu estou ficando com o saco bem cheio de gente doente que se passa por "gênio da arte"
 
Vamos listar?
1- Tô de saco cheio de bailarina sem técnica que põe roupa sexy, rebola e acha que está dançando horrores. Meu bem, estética conta pontos, mas não segura e nem mantém carreira profissional.
2- Também cansei de músicos, cantores, cantoras, que se projetam como se estivessem no palco da Broadway, com caras e bocas e currículos do tipo "Toco/danço/canto/desenho desde os 4 anos de idade, onde meus familiares já reconheciam o alto nível do meu talento, e blá blá blá..." Vou ter que chocar você agora, TODO MUNDO QUE TEVE UM MÍNIMO DE INFÂNCIA, batucou, cantou, dançou e desenhou na pré-escola e em casa também. Pergunte pra sua mãe.
3- A pessoa acaba de te conhecer e já te ama, já se enfia na sua vida-casa-geladeira-armário-facebook e se bobear, conta corrente. E acredita que vc sente tudo isso por ela também. Fique calmo, se eu te amar, eu te aviso.
4- A gente percebe quem faz arte porque é assim mesmo, porque realmente vem da alma da pessoa, porque ela faz isso há anos e não desiste. Nota-se na coerência de seus atos, no equilíbrio do que faz, enfim, a pessoa não fica criando oportunidades só pra ganhar aplausos, pra se alimentar e sobreviver deles.
5- E os "amados-amantes", gente, parem de posar de sexy symbol do ano, porque é ridículo a pessoa aparecer no meio do gueto vestido com roupa e pompa de entrega do Oscar. Também é ridículo ficar se insinuando para todas as pessoas comprometidas do recinto. Vira piada depois tá?
 
E antes que comecem a me pedir os nomes dos bois, já adianto que este post já vem sendo tramado há anos, porque eu vejo tudo isso aí desde meus 20 e poucos anos, mas é um todo tão recorrente, tão recorrente que hoje resolvi partilhar...
 
Ai cansei viu gente?
 
 

3 comentários:

Adriana disse...

Ahahahha! Muito bom! Além da aula de psicopatologia, um bom convite ao riso!

Beijo

Antonio Celso da Costa Brandão disse...

Adorei

Com a sua permissão estou publicando em "boaspratiasfarmaceuticas"

Judy disse...

... por fim descobri o nome do problema desta gente que parece mas não é; quer ser e não consegue; acha que pode mas não deveria nem pensar em querer poder... enfim os inconvenientes e chatos (de galocha ou de carteirinha).
Adorei!

Abraço,