quinta-feira, 21 de julho de 2011

A Vaidade, o Orgulho e o Amor próprio no mundo da arte. (Ou: Meu sangue é B+, não quer levar um pouco também?)

Hoje eu preciso falar sobre um fator muito importante e que acaba sendo tema na vida de todo artista que pretende seguir sua vida produzindo seja qual for a forma de arte.
Um fato: Todo artista é vaidoso. Precisamos muito de aplauso, de público. Queremos ser vistos. Elogiados, criticados, mas acima de tudo, comentados. 
Todo artista é vaidoso, mas o tempo e a maturidade fazem a gente encontrar um equilibrio entre reconhecimento e o rastejar atras de fama... Ontem me aconteceu um fato que me fez refletir muito sobre isso... não porque fosse a primeira vez que aconteceu, pelo contrário, mas me espanta ver que "ainda acontece" e que "ainda tem gente assim" no mundo.
Olha, todo artista é vaidoso, mas temos que preservar nossa dignidade sabe? Muitas pessoas pensam que só porque todo artista sonha com reconhecimento, notoriedade, vamos topar todo e qualquer tipo de negociação. É nessas que o músico toca praticamente de graça no barzinho pra ser visto e tomar umas cervejas depois, a bailarina dança quase de graça no evento pra sair nas fotos das publicações e ter seu nome nos cartazes, que o ator faz a peça a preço de banana pra ser visto pela empresa que um dia talvez possa patrocinar algum trabalho seu, é nessas que o artista plástico vende ou troca suas pinturas, criações únicas, por favores tolos, por contatos medíocres e uma pseudo fama que não o levará a lugar nenhum.
Eu já troquei obra de arte por trabalhos de colegas, com muito orgulho, porque valia a pena, eram pessoas que estavam "realmente trocando", não havia aquela coisa no ar de "eu estou me dando bem às suas custas". Mas quando a gente nota que a pessoa só tem a ganhar com aquilo e você será lesado... aí muda tudo de figura.
Falo por mim, que não quero só ganhar o dinheiro. Vender o quadro não é tudo. Tenho alguns quadros que não vendo nem a pau! Porque eles tem significado forte para mim. Não vendo. Não se faz arte só por dinheiro minha gente. Duvido que minhas amigas bailarinas (de todos os estilos) dancem só pelo dinheiro (leia-se dinheiro como "benefícios materiais em geral"), duvido que meus amigos músicos toquem só pelo dinheiro. Tem muita coisa em arte que a gente faz de graça. Mas fazer pra sustentar exploradores??? Não dá meu povo. Artista há muito tempo deixou de ser aquele sonhador hiponga que aceita trabalhar em troca de pão dormido.
Eu me recuso a implorar por "fama", aceitar todo tipo de negócio pro "meu nome ficar conhecido", "pra ser visto".
Eu sei que se frequentasse mais eventos de arte, mais baladas, mais vernissages eu ficaria mais conhecida, mas eu detesto balada, fico mega tímida em evento de arte, não curto muito.
Eu quero que meu trabalho apareça, não minha imagem física.
Hoje eu aceito que posso passar uma vida como anônima, mas serei eu mesma, não um eu fabricado para agradar a sociedade. Isso também se chama Orgulho. Que pode ser bom ou mau.
Orgulho também pode te tirar algumas boas oportunidades, então a gente tem que ceder as vezes. Mas AS VEZES e não SEMPRE. Todo artista já foi feito de bobo por alguém, em algum evento, exposição, mostra... mas uma vez, ok. Duas já é burrice e falta de amor próprio, por si, por sua arte.

Eu cansei disso tudo. Hoje eu protejo muito meus desenhos e pinturas. Prefiro não vender do que sacrificar um trabalho. Prefiro presentear alguém que eu saiba que vai valorizar do que ceder a exploradores.
Eu protejo meu trabalho, porque é a única coisa que vai ficar de mim aqui na Terra depois que eu morrer.
E mesmo assim, só vai ficar se alguém guardar. Por isso, escolho bem o tipo de negociação. Meu trabalho é parte de mim, eu me amo, me respeito, respeito minha arte.
E você também artista, respeite a sua.

3 comentários:

Falinacia disse...

Ghiza, parabéns pela sua postura,não sou artista, mas aprecio quem se ama e se valoriza como ser humano, nesse mundo onde o ter é mais importante que o ser.
Beijo e sucesso!!!

Carlinha Salgueiro disse...

Ghiza, cada dia mais eu tenho orgulho de você. Pela artista e também pela pessoa!
Durma sempre o sono dos justos, justos talentosos, claro!
Beijos!

Sahira Ma Ajniha disse...

É minha linda... Não é facil ter que engolir a pressão de "ter" que estar na midia, fazer qualquer bobagem para ganhar ibope, criar polemica para "fazer a diferença" em troca de migalhas. Sou do seu time sabe. Quer me prejudicar, usar, sinto muito não estou pra isso. Certissima, artista sempre, mercadoria barata nunca. Bjs nega