domingo, 9 de janeiro de 2011

Regresso.

Flagrei-me novamente na varanda,
Erguendo os olhos há tempos cabisbaixos,
Redescobrindo estrelas...
No absurdo do qual a vida se revelou,
Nessa minha histeria interna,
Entre risos e lágrimas secretas,
Aninhou-se ferida e silenciosamente a felicidade...

Nenhum comentário: