segunda-feira, 22 de novembro de 2010

23.11.1967 - Documentos do Caso Clodimar Pedrosa Lô.

Veja o trailler, indique, vamos divulgar!

http://gatonaarvorefilmes.blogspot.com/2010/11/no-youtube-trailer-oficial-do-longa.html

Este é o trailler do longa que ilustrei, um lindo trabalho em parceria com Eliton Oliveira, o produtor desse documentário que vai te fisgar em breve!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Eu sou eu, Nicuri é o diabo.

Eu deixo o carro em casa e vou para o trabalho de ônibus.
Aqui em Floripa é assim, são poucos caminhos, esburacados, mal sinalizados.
Vou de Ônibus.
E ônibus é o melhor lugar do mundo para ficar pensando, no que você quiser!
Eu, particularmente, preciso de TRÊS ônibus para chegar ao trabalho, são quase duas horas de transporte, então imagine a mente fértil né?

Foi numa dessas que encanei de reparar nas pessoas. Adoro olhar gente, porque eu sou retratista e cada rosto "tem seu mistério, seu sofrer sua ilusão..."
Aí notei que algumas pessoas são esquisitas. Uns diriam "bregas" (não no sentido Sidney Magal, luxo e glória - mas no sentido que os paulistanos usam) outros diriam cafonas, sei lá. Mas fiquei pensando o que faria alguém cafona...
Tem mil e uma explicações, mas eu acho que descobri uma delas:
Olhe em volta. A pessoa que mais soa ridículo ao seu olhar é aquela que está tentando parecer ser algo que não é.

Vamos exemplificar.
A pessoa é simples, tem uma função simples, um trabalho comum e vai pro trabalho de tênis, calça jeans, bolsa tipo mochila. Ok. Aí ela não se dá por satisfeita e coloca mil pulseiras douradas, barulhentas, esmalte vermelho tomate, muitos colares e brincos gigantes. Tá lá, não se decidiu se quer ser esporte, fina ou sei lá...

O resto vale pra tudo. Aquela pessoa no seu serviço que é estranha? Ela com certeza tá tentando parecer o que não é.
Eu fico sempre esquisita quando tenho que colocar alguma roupa na qual não me sinto bem, quando tenho que manter uma aparência que não é meu natural, sempre esquisita! Quando tento parecer alguém que não sou!

E vamos aprofundar mais e chegar naquelas horas em que a gente se sente mal com algo ou alguém. Provavelmente fomos obrigados (socialmente, profissionalmente, sei lá) a ser ou aparentar algo que não concordamos. Violência.
Violência emocional, pode ser social, pode ser estética.
Querer, precisar, tentar, sei lá como, mas forçar uma barra daquilo que não se é, nunca vai ficar natural, nem bonito.

Seja simples, metidona, seja esporte, seja quietinha, seja chique a beça, seja expansiva, seja barulhento, seja tosco, seja nerd, seja burro!

Mas seja você mesmo.

É uma idéia repetida, eu sei, mas a gente vive esquecendo.
E vive tentando convencer a si próprio de coisas que não convencem nem um pouco...
Mas isso tudo são coisas do mundo...

Mas podemos evitar.
Aliás, podemos nos libertar e sermos somente o que somos, dá menos trabalho, é mais digno, e seremos originais, sempre.

Bonito é ser o que se é.


Ps: Eu acho Zé Bonitinho "raio, estrela e luar". Ele era ele. Apenas isso! hahahah

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Enquanto isso, no meu quintal...

Esse serzinho fica embriagando minhas noites com um perfume que infelizmente não dá pra mandar pra vocês...

sábado, 6 de novembro de 2010

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Soldier Of Fortune - Deep Purple

Pra deixar a sexta-feira mais dolorida... rs*

"I have often told you stories about the wayI lived the life of a drifter waiting for the day

When I'd take your hand and sing you songs

And may be you would say

Come lay with me and love me

And I would surely stay





But I feel I'm growing older

And the songs that I have sung

Echo in the distance

Like the sound

Of a windmill going round

Guess I'll always be

A soldier of fortune.





Many times I've been a traveller

I looked for something new

In days of old when nights were cold

I wandered without you

Those days I thought my eyes

Had seen you standing near

Though blindness is confusing

It shows that you're not here.





Now I feel I'm growing older

And the songs that I have sung

Echo in the distance

Like the sound

Of a windmill going round

Guess I'll always be

A soldier of fortune





Yes, I can hear the sound

of a windmill going round

I guess I'll always be

a soldier of fortune.

I guess I'll always be

a soldier of fortune.



quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Caipiragem

Eu tenho uma caipiragem dentro de mim que eu amo...
Esqueçam toda essa pintura maquiagem, porque no fundo eu tenho (também) isso dentro de mim:



E segue a letra, porque é lindíssima... e eu tbm amo poesia, ainda mais poesia caipira!
Salve o interioooorrrr!

"Peão"
Almir Sater

Diga você me conhece


Eu já fui boiadeiro

Conheço essas trilhas

Quilômetro, milhas

Que vem e que vão

Pelo alto sertão

Que agora se chama

Não mais de sertão

Mas de terra vendida

Civilização



Ventos que arrombam janelas

E arrancam porteiras

Espora de prata riscando as fronteiras

Selei meu cavalo

Matula no fardo

Andando ligeiro

Um abraço apertado

E um suspiro dobrado

Não tem mais sertão



Os caminhos mudam com o tempo

Só o tempo muda um coração

Segue seu destino boiadeiro

Que a boiada foi no caminhão



A fogueira, a noite

Redes no galpão

O paiero, a moda,

O mate, a prosa

A saga, a sina

O "causo" e onça

Tem mais não



Ô peão....



Tempos e vidas cumpridas

Pó, poeira, estrada

Estórias contidas

Nas encruzilhadas

Em noites perdidas

No meio do mundo

Mundão cabeludo

Onde tudo é floresta

E campina silvestre

Mundão "caba" não



Sabe, "prum" bom viajante

Nada é distante

"Prum" bom companheiro

Não conto dinheiro

Existe uma vida

Uma vida vivida

Sentida e sofrida

De vez por inteiro

E esse é o preço "preu" ser brasileiro