terça-feira, 12 de outubro de 2010

A Jangada de Pedra.

"Pedro Orce que está velho e tem da morte o primeiro sinal, que é a solidão, saiu mais uma vez de casa para ir ver a barca de pedra, foi com ele o cão que tem todos os nomes e nenhum, e quem estiver dizendo que, por ir o cão, não vai Pedro Orce só, esse esquece a origem remota do animal, cães de inferno já viram tudo, e tendo vida tão longa não são eles companhia de alguém, os humanos, que tão pouco vivem, é que acompanham os cães. A barca de pedra está lá, e a proa é alta e aguda como na primeira noite, Pedro Orce não estranha, cada um de nós vê o mundo com os olhos que tem, e os olhos vêem o que querem, os olhos fazem a diversidade do mundo e fabricam as maravilhas, ainda que sejam de pedra, e as altas proas, ainda que sejam de ilusão"

( A Jangada de Pedra - José Saramago)