quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Indicador Catarinense das Artes Plásticas

Já visitou o novo portal do MASC?

Lá já está disponível para download a nova edição do Indicador Catarinense de Artes Plásticas, é um registro do que anda acontecendo na nossa terra, pessoas, estilos e formas diversas de se fazer arte!

Vale a pena xeretar por lá!

Esta artista que vos escreve está na página 692 !!!





É gostoso fazer parte da história, mesmo que como coadjuvante!

Obrigada a todos do projeto pela oportunidade!

Viva a Arte em Santa Catarina!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

23.11.1967 - Documentos do Caso Clodimar Pedrosa Lô.

Veja o trailler, indique, vamos divulgar!

http://gatonaarvorefilmes.blogspot.com/2010/11/no-youtube-trailer-oficial-do-longa.html

Este é o trailler do longa que ilustrei, um lindo trabalho em parceria com Eliton Oliveira, o produtor desse documentário que vai te fisgar em breve!

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Eu sou eu, Nicuri é o diabo.

Eu deixo o carro em casa e vou para o trabalho de ônibus.
Aqui em Floripa é assim, são poucos caminhos, esburacados, mal sinalizados.
Vou de Ônibus.
E ônibus é o melhor lugar do mundo para ficar pensando, no que você quiser!
Eu, particularmente, preciso de TRÊS ônibus para chegar ao trabalho, são quase duas horas de transporte, então imagine a mente fértil né?

Foi numa dessas que encanei de reparar nas pessoas. Adoro olhar gente, porque eu sou retratista e cada rosto "tem seu mistério, seu sofrer sua ilusão..."
Aí notei que algumas pessoas são esquisitas. Uns diriam "bregas" (não no sentido Sidney Magal, luxo e glória - mas no sentido que os paulistanos usam) outros diriam cafonas, sei lá. Mas fiquei pensando o que faria alguém cafona...
Tem mil e uma explicações, mas eu acho que descobri uma delas:
Olhe em volta. A pessoa que mais soa ridículo ao seu olhar é aquela que está tentando parecer ser algo que não é.

Vamos exemplificar.
A pessoa é simples, tem uma função simples, um trabalho comum e vai pro trabalho de tênis, calça jeans, bolsa tipo mochila. Ok. Aí ela não se dá por satisfeita e coloca mil pulseiras douradas, barulhentas, esmalte vermelho tomate, muitos colares e brincos gigantes. Tá lá, não se decidiu se quer ser esporte, fina ou sei lá...

O resto vale pra tudo. Aquela pessoa no seu serviço que é estranha? Ela com certeza tá tentando parecer o que não é.
Eu fico sempre esquisita quando tenho que colocar alguma roupa na qual não me sinto bem, quando tenho que manter uma aparência que não é meu natural, sempre esquisita! Quando tento parecer alguém que não sou!

E vamos aprofundar mais e chegar naquelas horas em que a gente se sente mal com algo ou alguém. Provavelmente fomos obrigados (socialmente, profissionalmente, sei lá) a ser ou aparentar algo que não concordamos. Violência.
Violência emocional, pode ser social, pode ser estética.
Querer, precisar, tentar, sei lá como, mas forçar uma barra daquilo que não se é, nunca vai ficar natural, nem bonito.

Seja simples, metidona, seja esporte, seja quietinha, seja chique a beça, seja expansiva, seja barulhento, seja tosco, seja nerd, seja burro!

Mas seja você mesmo.

É uma idéia repetida, eu sei, mas a gente vive esquecendo.
E vive tentando convencer a si próprio de coisas que não convencem nem um pouco...
Mas isso tudo são coisas do mundo...

Mas podemos evitar.
Aliás, podemos nos libertar e sermos somente o que somos, dá menos trabalho, é mais digno, e seremos originais, sempre.

Bonito é ser o que se é.


Ps: Eu acho Zé Bonitinho "raio, estrela e luar". Ele era ele. Apenas isso! hahahah

domingo, 14 de novembro de 2010

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Enquanto isso, no meu quintal...

Esse serzinho fica embriagando minhas noites com um perfume que infelizmente não dá pra mandar pra vocês...

sábado, 6 de novembro de 2010

Minha filha.

"Entre as coisas mais lindas que já recebi,
eu reconheci minhas cores nela..."



sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Soldier Of Fortune - Deep Purple

Pra deixar a sexta-feira mais dolorida... rs*

"I have often told you stories about the wayI lived the life of a drifter waiting for the day

When I'd take your hand and sing you songs

And may be you would say

Come lay with me and love me

And I would surely stay





But I feel I'm growing older

And the songs that I have sung

Echo in the distance

Like the sound

Of a windmill going round

Guess I'll always be

A soldier of fortune.





Many times I've been a traveller

I looked for something new

In days of old when nights were cold

I wandered without you

Those days I thought my eyes

Had seen you standing near

Though blindness is confusing

It shows that you're not here.





Now I feel I'm growing older

And the songs that I have sung

Echo in the distance

Like the sound

Of a windmill going round

Guess I'll always be

A soldier of fortune





Yes, I can hear the sound

of a windmill going round

I guess I'll always be

a soldier of fortune.

I guess I'll always be

a soldier of fortune.



quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Caipiragem

Eu tenho uma caipiragem dentro de mim que eu amo...
Esqueçam toda essa pintura maquiagem, porque no fundo eu tenho (também) isso dentro de mim:



E segue a letra, porque é lindíssima... e eu tbm amo poesia, ainda mais poesia caipira!
Salve o interioooorrrr!

"Peão"
Almir Sater

Diga você me conhece


Eu já fui boiadeiro

Conheço essas trilhas

Quilômetro, milhas

Que vem e que vão

Pelo alto sertão

Que agora se chama

Não mais de sertão

Mas de terra vendida

Civilização



Ventos que arrombam janelas

E arrancam porteiras

Espora de prata riscando as fronteiras

Selei meu cavalo

Matula no fardo

Andando ligeiro

Um abraço apertado

E um suspiro dobrado

Não tem mais sertão



Os caminhos mudam com o tempo

Só o tempo muda um coração

Segue seu destino boiadeiro

Que a boiada foi no caminhão



A fogueira, a noite

Redes no galpão

O paiero, a moda,

O mate, a prosa

A saga, a sina

O "causo" e onça

Tem mais não



Ô peão....



Tempos e vidas cumpridas

Pó, poeira, estrada

Estórias contidas

Nas encruzilhadas

Em noites perdidas

No meio do mundo

Mundão cabeludo

Onde tudo é floresta

E campina silvestre

Mundão "caba" não



Sabe, "prum" bom viajante

Nada é distante

"Prum" bom companheiro

Não conto dinheiro

Existe uma vida

Uma vida vivida

Sentida e sofrida

De vez por inteiro

E esse é o preço "preu" ser brasileiro

 
 
 

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

"Excelso"

"Excelso"                                         
Pintura e colagem sobre painel de madeira 48X68 cm.
Eu gostei, é um cliente e amigo muito querido, mas ele só verá semana que vem... (ele não conhece este blog!) E vcs podem conferir hoje mesmo! Espero que gostem








sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Novo Trabalho!

Desenhos feitos para o longa "23.11.1967 - Documentos do Caso Clodimar Pedrosa Lô"; de Eliton Oliveira - Estréia em Março/2011 - na rede Cinesysten de cinemas.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Primavera nos dentes II

E no meio daquelas antigas dores incrustradas,
Aqueles espinhos amargos de lembranças adormecidas,
Seu sorriso refloresceu
e quase puder tocar o mesmo aroma que um dia foi meu...

terça-feira, 19 de outubro de 2010

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Duas vendas especiais.

Que eu adooooro vender quadro todo mundo sabe, mas eu adooooooro quando vendo para pessoas que eu sei que realmente adooooooram pop art e também quando eu tenho um xodó pela pessoa!

Pois eu acabei de vender as telas "Abelardo Barbosa" e "Mojica" para a nossa amiga paquita do Zé do Caixão que possui o maior encosto de Chacrete que conheço! Carla Salgueiro que tem um blog bem legal onde eu aprendo a ser mulher porque eu sempre esqueço como é mesmo, rs* (vide meu visual hoje, de calças absolutamente cobertas de tinta, blusa velha e cabelos malucos.
A Carlinha vc tbm pode ver aqui, porque hoje ela tá abusada e virou garota propaganda!


Obrigada pela aquisição Carlinha! E parabéns pelo presente que ganhou! (É aquele carinho pro ego né?)

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

Esquadros

Tem coisas lindas que a gente lê, ouve, se identifica... os anos passam e um dia você percebe aquilo de um outro ponto de vista... Maior e mais profundo... Aconteceu comigo hoje.
Gosto desta música desde sempre, me encontro em cada verso, mas nunca pensei que um dia a compreenderia tanto ...


Esquadros


Composição: Adriana Calcanhoto


Eu ando pelo mundo

Prestando atenção em cores

Que eu não sei o nome

Cores de Almodóvar

Cores de Frida Kahlo

Cores!



Passeio pelo escuro

Eu presto muita atenção

No que meu irmão ouve

E como uma segunda pele

Um calo, uma casca

Uma cápsula protetora...


Ai, Eu quero chegar antes
Prá sinalizar

O estar de cada coisa

Filtrar seus graus...



Eu ando pelo mundo

Divertindo gente

Chorando ao telefone

E vendo doer a fome

Nos meninos que têm fome...



Pela janela do quarto

Pela janela do carro

Pela tela, pela janela

Quem é ela? Quem é ela?

Eu vejo tudo enquadrado
Remoto controle...


Eu ando pelo mundo

E os automóveis correm

Para quê?

As crianças correm

Para onde?

Transito entre dois lados

De um lado

Eu gosto de opostos

Exponho o meu modo

Me mostro


Eu canto para quem?



Eu ando pelo mundo

E meus amigos, cadê?

Minha alegria, meu cansaço

Meu amor cadê você?

Eu acordei
Não tem ninguém ao lado...



Pela janela do quarto

Pela janela do carro

Pela tela, pela janela

Quem é ela? Quem é ela?

Eu vejo tudo enquadrado

Remoto controle...



terça-feira, 12 de outubro de 2010

A Jangada de Pedra.

"Pedro Orce que está velho e tem da morte o primeiro sinal, que é a solidão, saiu mais uma vez de casa para ir ver a barca de pedra, foi com ele o cão que tem todos os nomes e nenhum, e quem estiver dizendo que, por ir o cão, não vai Pedro Orce só, esse esquece a origem remota do animal, cães de inferno já viram tudo, e tendo vida tão longa não são eles companhia de alguém, os humanos, que tão pouco vivem, é que acompanham os cães. A barca de pedra está lá, e a proa é alta e aguda como na primeira noite, Pedro Orce não estranha, cada um de nós vê o mundo com os olhos que tem, e os olhos vêem o que querem, os olhos fazem a diversidade do mundo e fabricam as maravilhas, ainda que sejam de pedra, e as altas proas, ainda que sejam de ilusão"

( A Jangada de Pedra - José Saramago)

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

.

E então tu optaste pelo silêncio.
Se as palavras perderam a exatidão,
se nos largamos no vazio do presente...

Sigo bailando solitária com meu eco, insistente estampa em branco e preto no meu peito...

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Que presente lindo!

Gente, olha que alegria!
Vejam o presente que recebi hoje por email!

"Boa Tarde,


Sou Professora Marina da Centro Educacional Municipal Santa Ana da turma do 2º ano. E estamos realizando o Projeto As diversas manifestações culturais, e em nossa saída de estudo na casa da cultura, conhecemos o seu trabalho, onde as crianças ficaram encantadas. Então realizamos o trabalho em sala de aula, com a Releitura de suas obras utilizando alguns materiais que você utiliza.

Foi um momento mágico, as crianças desenvolvendo a arte e a cultura baseado na nossa temática.

Pensei em repassar para vc esse momento que é tão importante na vida destas crianças para você.

Em anexo tem alguns trabalhos, criamos a galeria de arte na escola.



Muito obrigado pela atenção

E esperamos um contato

Abraços

Marina Coelho"
 
Aqui estão as fotos dos trabalhos da galerinha.
 
Estou muito feliz, porque o objetivo da minha arte é este, alegrar os olhos das pessoas, fazerem-nas refletir e pensarem em coisas novas! Obrigada a cada um de vocês, espero um dia poder conhece-los pessoalmente!









Obrigada!

terça-feira, 20 de julho de 2010

Sobre arte, virtuose, profissionalismo e a Maria Bethânia

Há tempos me cansei de discussões no orkut. Cansei porque cansei. Mas hoje achei uma discussão válida e que dá muito pano pra manga...
Uma pessoa questionava se o desenho hiper-realista é considerado arte ou não, quando baseado em fotos alheias, fotos de artistas. Outro perguntava quem é profissional, outro se uma cópia a lápis de fotografia (arte de outra pessoa) é arte etc...
Bem eu vou falar né? Não sei ficar quieta mesmo...

Eu faço desenho realista, não sei ele é "hiper" realista ou não, também não me importo nem me preocupo com isso. Eu também faço pop art, também não sei se é uma "boa" pop art ou não. Mas com isso eu me preocupo um pouco mais, rs*

Bem, no desenho realista o povo gosta de falar de um monte de nomes, e dá-lhe Nelves, Nimra, Linda Huber e mais um monte deles... assim, eu gosto de citar que eles são mestres no VIRTUOSISMO o arte do lápis grafite, e o grande barato deles é esse, mostrar o pleno domínio do material, o domínio da luz e sombra. E isso se consegue reproduzindo imagens prontas, onde podemos comparar a imagem original e o trabalho feito sobre ela. E no momento em que eles CRIAM suas imagens, se expressam, comunicam algo, estão fazendo arte TAMBÉM, mas aí a gente não tem um original pra comparar, porque foi uma invenção, mas é só olhar pra sacar que é realismo puro certo? E captar a mensagem dele também, lóoooogico.

Eu, Ghizinha do Glycério para o mundo, julgo o "meu" trabalho assim: Eu faço desenho realista pra estudar, para meu aperfeiçoamento, para quando eu precisar desenhar as MINHAS ideias, eu esteja preparada, treinada pra isso. Eles me ajudam a enxergar a pintura de modo diferente. Eu não exponho meus desenhos realistas pensando serem arte MINHA, não é minha expressão particular, eles são quase que um passatempo, um aprofundamento de estudo de luz e sombra, só isso.
Quando me solto e pinto, aí sim, é a minha linguagem artística.

Mas cada artista tem a sua forma de expressão. Tem o povo do realismo, os caricaturistas, os pop, os expressionistas, e  por aí vai embora.... Assim como tem teatro, dança, música, literatura...

Um exemplo, quando um artista canta, somente canta, não compõe, vamos falar de Bethânia, ela que eu saiba, não tem composições dela, se tem, não são maioria. Ela canta composições de outros artistas, mas interpreta ao seu modo, com sua arte que é a sua voz, seu poder vocal (maravilhoso por sinal). Ela é artista sim.

Aí o povo vem e fala que desenhista bom a gente reconhece o traço sem ver a assinatura. Nem sempre.
Tem uns fulanos que bombardeiam a gente pela net, com seus desenhos, que são realmente inconfundíveis, mas pela tosquice e feiúra. Então identidade não é parâmetro para saber-se "artista profissional" ou não.

Então quando é que o artista pode ser reconhecido como profissional?
Ao meu ver, quando ele está apto a enfrentar o mercado de trabalho, quando ele consegue espaço no mercado (não significa vender alguns desenhos por ano, para amigos e conhecidos) consegue vai vender suas obras, cursos, oficinas, como meio de sustento próprio. Saca aquele lance de "auto-sustentável"? Por aí... E isso é difícil... O que o faz apto? Boa qualidade. Só isso. Você se propõe a desenhar a lápis, e domina o material. Você vai pintar e domina a técnica, consegue extrair do material uma boa porcentagem do que ele tem a oferecer. Quem é bom, BOM mesmo, sempre consegue emprego, trabalhos extras, é procurado, é posto em evidência. Porque não dá pra enganar as pessoas por muito tempo. E quer saber mais, quando vc virar mesmo profissional, nem vai notar, aliás, vai notar sim, vai notar que já se passaram um bocado de anos e que vc nem teve tempo de ficar se preocupando com isso...

Eu não sei porque o povo tem tanta necessidade de se auto-rotular alguma coisa, "Óh não, eu sou isso, eu sou aquilo..." minha gente, a gente não é porra nenhuma que não nós mesmos... Somos nós, apenas nós. Nós e nossa arte, seja ela qual for.
Esquece esse papo de arte é isso, arte é aquilo. É um saco discutir arte... Trabalhe e pronto. O resto é conseqüência. Se vc quer reconhecimento na sua obra, produza, produza, produza. Se quer respeito, aja com respeito. Respeito a si mesmo e ao próximo. Não é guerreando, defendendo a si próprio e atacando o universo gritando que vc é artista, que vc vai crescer na arte. Eu não sou grandes coisas no mundo da arte, (mas bem que tem uma meia dúzia de doidos que gostam do que digo e faço, rs*)  mas também não fico o dia todo me preocupando com o que estão pensando ou não de mim e do que eu faço... Enquanto eu estiver pintando o que quero, desenhando o que quero, tendo trabalho e o que comer... estou fiel a mim e aos meus propósitos de vida.

Não esqueça de que o propósito de vida, de arte, do seu colega pode ser apenas a arte pela apreciação, pelo hobby, pela terapia, pela arte,  nem todo mundo quer ser fodão.

Tá bom então né?

"vamô" trabalhar minha gente?

Ps: Tá afim de comprar algum quadro?







quinta-feira, 15 de julho de 2010

Estreando no mundo do cinema.

Meus amigos sabem da paixão que tenho por cinema, enfim, surgiu uma oportunidade de prestar meus serviços de desenhista para tão nobre arte que é a telona!

Quem disse que eu não seria artista de cinema?

Mas enfim, brincadeiras a parte, eu aceitei esse convite maravilhoso do Eliton, porque acho que sem tomar partido de ninguém, acredito que um caso desses mereça mesmo ser recapitulado, ser reavaliado...

Clodimar Pedrosa entrou na minha vida também...

Quer saber mais? Então LEIA


Até mais ver!

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Sobre amar e ser amado...

Eu tenho uma vasta coleção de reflexões adquiridas através de frases de filmes que depois nem lembro o nome e hoje vou refletir mais um pouco sobre duas delas.

A primeira eu ouvi num filme e não sei mais qual filme foi, se alguém souber me ajude ok?

"Nós somos amados o quanto pensamos ser".

E isso ficou ecoando dentro da minha cabecinha uns bons dias... Especialmente porque eu sou uma pessoa carente profissional, insegura com PHD em baixa auto-estima. Fiquei pensando no que seria o real, muito provavelmente você, eu e seu inimigo, somos mais amados do que pensamos. Deve haver muito mais pessoas que gostam de vc, te amam do que vc pensa. Mas o pior é que no final das contas a gente só se sente amado o quanto conseguimos "pensar" ser. E quem se "pensa" pouco amado, é claro que terá todos os reflexos disso. Será deprimido, solitário, inseguro. E pior sem precisar se sentir assim... Pode-se passar uma vida inteira se sentindo só, sendo muito amado e sem nunca saber disso. Besta isso né?

A outra frase é:

"A verdade liberta"

Então pare de ser escravo daquilo que vc julga ser a verdade, tendenciosa de acordo com a sua visão apenas e tente ver também por outros olhos. Quem disse que a gente está certo sempre? E saber a  verdade, seja lá qual for e sobre o que for, nos faz livres... Essa é a frase mais fácil de hoje. E também a mais difícil.

Boa noite.

sábado, 26 de junho de 2010

E a Era de Aquarius? Como é que fica?


Hoje eu quero falar de uns pensamentos meus que eu nem sei se conseguirei expressar direito. Mas são umas coisas que têm fermentado na minha mente nos últimos dias...
Sobre as pessoas, o mundo... (Tá, isso tá ficando com cara de discurso filosófico de bêbado, mas vamos tentar)
Primeiro que o mundo está cada vez pior mesmo, a gente só vê tragédia nos jornais, na TV, nas ruas, na redação dos alunos de escola fundamental, enfim, dá a impressão de que tá tudo lascado mesmo... Mas algumas coisas contribuem para isso e eu não vou falar do clássico educação-governo-sociedade, porque isso é bem batido e muito vago.
Mas quero comentar algumas coisas bem perto de mim que me incomodam... A primeira é esse desespero que as pessoas têm em tomar a razão para si. Gente, não tem uma comunidade virtual que eu freqüente que não tenha alguém brigando com outra pessoa pra ficar tentando enfiar goela abaixo a sua verdade dentro do mundo do outro. São pessoas que acham que sua visão é a mais correta, ou que o seu Deus é o melhor (o que seria um Deus melhor ou um Deus pior eu não consigo imaginar, sendo que Deus é Deus, do jeito que a gente inventou né? Porque pra saber se Ele existe e "como" só se ele aparecesse, então eu fico contando com a criatividade humana pra conseguir demonstra-lo para mim de forma mais convincente) . Tem uns que se acham donos da verdade em tudo que é assunto, seja arte, cinema, dança, literatura, moda, internet, vida do ídolo, tudo! Nossa, temos tantos "especialistas" em tantas coisas que eu não entendo como pode ter tanta coisa errada assim por aí. Por que esses mestres não entram em ação e consertam as coisas de que eles mesmos dizem saber tanto?
O engraçado também é notar o número crescente de blogs, gente, tem blog pra tudo, tudo que for assunto que vc imaginar, tem um blog. Hoje em dia todo mundo escreve. O antagônico é que ao meu ver, para ser um bom escritor, precisa-se ser um bom leitor. Todo escritor deveria ser um leitor. Porque se vc só escreve e não lê, não só os outros, mas sim e principalmente a si próprio, danou-se de novo, porque não tem como escrever e nao saber ler.
Digo isso porque é incrível o número de pessoas que conheço que tem um blog, mas ao conversarmos sobre qualquer assunto, a pessoa me revela não gostar de leitura. (Pausa para você se espantar. Ou não) Como vc pode escrever sobre qualquer assunto se nunca leu sobre ele?
E isso é cada dia mais comum, com o advento da internet, todo mundo virou mestre em tudo, porque o google nos gradua capacitados para entender e resolver qualquer assunto. E paramos com as "vivências", tão necessárias para o aprendizado. Eu sempre falo que sou contra o supletivo. Sou mesmo, seja qual for a idade do aluno, porque escola, ESCOLA, mesmo, não é apenas um ano letivo, cheio de grade curricular e etc. Escola é viver e conviver com o colega de classe, ler sozinho e ler em coletivo, debater, conviver com os professores, cada qual com seu jeito diferente de ser. Por isso que quem fica só lendo tbm não aprende nada. É preciso ler e viver o que se lê para que depois, somente depois vc se julgue no direito de dissertar sobre. E não digo viver, no sentido literal, pode-se viver uma realidade lida, digerindo o que leu, criando sua própria crítica, buscando opiniões diferentes.
É por isso que dá tanta confusão no mundo, porque cada um pega o que encontra e lê só do seu jeito, não procura saber outras versões daquilo e vira um tal de "A Bíblia é nossa e disse assim", "Eu inventei isso e só eu sei sobre isso", "Eu sou o primeiro que fiz assim", "Eu achei isso aqui e agora é meu e só meu!" e mais um monte de coisas sem nem ao menos olhar pelo muro do vizinho e ver o que tem lá...
E assim temos as guerras, as disputas de terra e a briga do seu vizinho que foi parar no tribunal de pequenas causas.
Ou seja, é um tal de cada um procurar só o que lhe beneficie, só o que o engrandeça, que muitos vão esmagando pelo caminho os pequeninos, e assim temos a miséria e todas as mazelas de apêndice.
Você sabe qual o seu lugar no mundo?
Você sabe o que pode fazer para tornar o mundo melhor?
Qual é a parte que lhe cabe?
Eu me pergunto isso desde os15 anos, e é tão difícil, tão difícil responder a esta pergunta que só estou começando a ter pistas agora, aos 34...

                                                                              ***

Outra coisa que me incomodou essa semana foi o pessoal causando em cima da morte do Saramago. Meus amigos sabem o quanto me doeu, pois sou sua leitora há anos, mais exatamente há 15 anos (cheguei meio atrasada, mas deu tempo de aproveita-lo bem!) mas o que está me incomodando mais agora é a burrice humana.
Gente, é uma onda de ficar com "ciúme literário" sabe? Como se só vc no mundo gostasse do velhinho, só vc no universo compreende a obra dele, quando na verdade, ele queria ao contrário. Que mais e mais pessoas partilhassem dos seus pensamentos! E concordemos que embora triste, se a morte dele fará com que mais pessoas se interessem (porque ô coisa boa pra divulgar obra de artista do que o autor morto né?) se fará com que aquele que nunca leu, pegue algum volume e leia... porra, legal! Leia sim, descubra quem foi esse gênio contemporâneo que tanto engrandeceu nosso mundo! Não tem que ter essa de "Ai, mas agora todo mundo fica falando "luto por saramago" pra se posar de cult" FODA-SE, foda-se mesmo, pelo menos o cara sabe que ele existiu! rs* E outra, sabe porque o pessoal gosta de ficar fazendo pose em cima disso? Porque o mundo tá tão cagado em termos de qualidade artistica, que quando a gente encontra alguém melhor, encontra algo bom e valoroso, queremos nos agarrar com unhas e dentes àquilo, para que a gente se sinta menos burro. E se pro cara ficar andando com livros clássicos debaixo do braço vai fazer ele se sentir melhor, ande, criatura! ande! (Se der tempo leia tá?) Mas é assim que funciona, eu li o primeiro Saramago aos 19 anos, mas não foi porque achei interessante não, foi porque eu queria agradar ao meu pai, e lá fui eu botar banca de filha intelectual e desfilar com o Evangelho, só pra me sentir "menos burra" que meus colegas que nem liam nada extra-curricular, ou liam auto-ajuda ou livreco esotérico. Eu queria me diferenciar, numa tentativa de sair de uma lama interior, tentar ser diferente ... Deu certo. Eu li e me senti tão abismada em haver alguém tão inteligente, em ler pensamentos tão profundos e que tomavam dimensões tão grandes na minha mente que eu viciei no velhinho, e em mais um monte de outros gênios, porque eu descobri que ler, ouvir, prestar atenção nos outros podia me tornar alguem melhor. Eu poderia descobrir mundos dentro da minha cabeça que eu nunca havia sequer imaginado haver. Eu não estava mais apenas "me sentindo menos burra" eu realmente estava "Ficando menos burra". E isso era aliviante. É muito bom descobrir-se errado, mais gostoso do que acreditar-se certo, porque largar o peso de um equívoco é mais gostoso do que carregar o peso das suas verdades.
Porque defender as nossas verdades é difícil não é? Há de se ter força, integridade e coragem.
É fácil falar em quê se acredita, mas é difícil fazer algo concreto, eficaz em relação à isso.
Por isso eu vivo procurando formas de manifestar o que penso, e vivo procurando formas de descobrir mais o outro. Porque nada no mundo me transforma mais do que o vizinho.
Quando eu aprendo coisas interessantes, eu me sinto obrigada a me tornar alguém melhor.

Porque se não for assim é sinal de que não aprendi nada...


sexta-feira, 18 de junho de 2010

segunda-feira, 24 de maio de 2010

domingo, 2 de maio de 2010

Amanhã tem divulgação? Tem sim senhor!

Queridos amigos,

Amanhã 03 de maio, tem eu na rádio CBN - Programa Notícias na Tarde às 15hrs


E depois, à noite, tem "Estudio36" na TVCOM - RBS/SC
às 20h30m com a Camila Olivo, prestigiem!

Depois conto mais pra vocês!

sexta-feira, 9 de abril de 2010

"Alegóricos" - Exposição Itinerante 2010


ALEGÓRICOS


Ghiza Rocha

Os Alegóricos são personagens unidos não por origens, talentos ou ideologias, mas por um aspecto peculiar: a criação de uma estética própria. Uma cobertura de maquiagem, poesia e irreverência onde recriam a si próprios numa atmosfera lúdica, colorida, onde mais do que mitos, tornaram-se únicos.

Esta mostra procura criar sobre o tema de cada um, é a fantasia do pintor bailando com a criação do personagem, é o universo de cada um deles visitado pela artista.

Mergulhando em cores vibrantes, apropriando-se de jornais, recortes e adereços, Ghiza Rocha procura exibir esta habilidade comum entre todos nós, a de reinventar-se.

Nascida em São Paulo, capital, a artista de 34 anos mora em Florianópolis, foi professora de história da arte, artes plásticas, técnica de cultura e diretora de arte, hoje ministra oficinas de arte e produz em ateliê próprio.



Link art: ghizarocha@gmail.com

Flickr: www.flickr.com/photos/ghizarocha

A mostra Alegóricos vai passar pelas cidades de Florianópolis/SC, São Paulo/SP e São José/SC

Aguarde as datas da nossa agenda!