quarta-feira, 28 de fevereiro de 2007

Poema de Amor Perdido.


Desfazem-se os dias, a pintura e as promessas,
Derramados, lágrimas no esquecimento,
Amargas, raízes fincadas nas areias do passado,
Respiração sôfrega, sem perspectiva,
Fruto de árvore póstuma,
Aborto de afeição mal curada,
Ferida cancerosa de dor inominável,
Desfazem-se as cartas, os jardins e os beijos,
Despejados, exilados do coração,
Silêncio forçoso, que berra,
O Protagonista e seus moinhos,
Poema de amor perdido...

4 comentários:

Rika disse...

E assim, abre-se espaço para o novo amor. Te amo, Bjs

Aju disse...

Se bebesse iria pegar uma garrafa de pinga e recitar este poema, ele me parece meio auto ajuda neste momento :)

Bjos

André disse...

Ao menos as palavras permanecem com toda a riqueza de um momento único.

M. disse...

É lindíssimo este poema.