quinta-feira, 8 de fevereiro de 2007

Escarlate.


Roubava o carmim dos jardins

Para acenar-te com meu tímido rubor

A urgência dos teus olhos e dias...

E refazia,

Caprichosa e silenciosamente

Meus caminhos

Na esperança diária de tingir-te de mim...

7 comentários:

o alquimista disse...

Na beleza que há em ti...



No vago que resta da noite, brilha a lua...misticismo na Ilha...

Doce beijo

Sergio disse...

Olá, Ghiza!

Não perder a esperança faz a gente encontrar outras cores, as vezes melhores.

um beijo

Aju disse...

Ahhh poemas sentimentais nao posso lê-los nem vê-los :P~

Mas os seus sempre sao bons...

Ainda bem q a macumba acabou e vc voltou =]

Bjos

Cadinho RoCo disse...

Se quis tingir-me de ti, tingiu.
Bastou eu saber do seu retorno para que sangue fervesse em busca dos seus vesos. Coloco-me pois, tingido transpirado de alegria.
Cadinho RoCo

M. disse...

Lindíssimo, Giselle!

monicasantos disse...

seus poemas são lindos...me vi neste..amei...
se comentar demais a gente tira a magia....prefiro sentir..
bj minha querida poeta!!!!!!!

Mônica.

luis manoel siqueira disse...

Curto, afiado e bonito. Sumo dos sumos.
O seu comentário sobre Van Gogh diz muito de você e resume muito do que o texto disse, mas que poucos compreenderam.