quinta-feira, 30 de novembro de 2006

Rude.


As lágrimas salgaram as poucas palavras que,
Isoladas,
Desprenderam-se de seus significados,
Solidão salgada parece ainda maior...
Não esperava mais por algo especial,
Mereceria outra realidade?
Viva, sentia-se surreal...
Morta, seria abstração...
E desprendeu-se assim de seu próprio sentido,
Vagou-se, renúncia,
Matéria-prima bruta...

8 comentários:

Júnior Creed disse...

ah, menina Ghiza (mãe da Helena) admiro-te pela constituição de suas palavras em seus escritos... poetisa maravilhosa, poetisa escolhida. lágrimas são reais... sim, reais.

O Sibarita disse...

Olá Ghiza! As lágrimas, sempre elas é que dão o tom... Sua poesia é maravilhosa, faça fé!

abraços,
O Sibarita

Monica disse...

As lágrimas são uma das mais belas expressões do corpo...
E suas palavras, como sempre, lindas....
Belo post amiga!!!!
Bjssssss no coração!!!!!!!
:********

Pat! disse...

simplesmente ADOREI!! acho que vc já cansou de ler esta palavra nos meus comentários, mas eu não canso de repetir, cada vez que leio uma coisa linda dessas!!
beijão.

Sergio disse...

Olá, Ghiza!

As labrimas secam, tambem, como as palavras.

Um beijo e bom domingo

Fred Neumann disse...

Palavras salgadas de Ghiza que alteram os significados, enobrecem docemente a vidas das pessoas para o bem!

Ufa, depois de muita cantoria voltei, Ghiza!

Beijocas,

Fred

Aju disse...

Ghizaaaaaaaa ka estou eu novamente pra olhar seu blog e seus poemas, mas kd as trufas? :P~

bjs

Tiago disse...

esse teu post me inspirou o último. beijo.