segunda-feira, 18 de setembro de 2006

Sussuro.



Cuidado minha flor...
Essas mentiras de veludo,
Cansam minhas velhas traças...
Não me perca em motes baratos,
Em conquistas repetidas...
Acolha-me apenas se puderes,
Se tiveres ainda pureza,
Ou mesmo estrofes de amor,
Onde eu não seja apenas figura de linguagem,
Mas seja tua língua,
Morna,
De seda,
E verdadeira.

4 comentários:

greentea disse...

falas de freyja? claro q te deixa linkar, fica contente...

e tu porque não inscreves este poema no blog do antónio?

achava óptima ideia!!

beijos

Leticia Gabian disse...

Que lindo que está, Ghiza!
Beijão pra ti.

Cristiano Contreiras disse...

Cuida-te o ser delicado.

M. disse...

Gostei muito.