sábado, 30 de setembro de 2006

Primavera.


É sopro colorido,
Véu alado que rodopia, delicadíssimo
Entre cabeças e flores, vertigem
Êxtase de delicadeza e contentamento
Pousada em meu jardim
Transformando minhas distrações em regalo
E desmaia repentinamente...
Consolada em pétalas,
Levando consigo a derradeira mocidade,
A última brisa da tarde.

5 comentários:

greentea disse...

lindas as borboletas da nossa vida...

queres tomar um cha comigo'???

junior disse...

ah, querida, a primavera faz isso caom agente, inebria, entontece...um sopro lindo e colorido. beijosssssssss!!!

Leticia Gabian disse...

Essa beleza tão levinha quanto a brisa da tarde não consegue carregar a derradeira mocidade. Ela fica muito entranhada dentro da gente e fica até o fim dos nossos dias. é o que ainda detém os nossos sonhos, fantasias e quereres.
Beijo.

greentea disse...

tou falando que tem q vir tomar um ar de Portugal...

António Rosa disse...

Lindo.