terça-feira, 15 de agosto de 2006

Sorvendo.


Quando me engoles com teus pequenos olhos,
Abraçando minha alma inteira,
Esqueço-me de que o relógio tem me fugido das mãos,
Desde então não sou mais eu,
Não sou mais única.
Sou rio lácteo por onde navegas tua essência
E me amarras com teu espírito imenso e forte
Não me importa se me falta o repouso,
A vaidade ou a volúpia,
Tu me levas inteira, de assalto,
Gravas em meu rosto o sorriso mais puro...
Sopras no meu peito o calor da tua vida...
E me fazes tua mãe.

5 comentários:

Aprendiz de Viajante disse...

Palavras tão doces e ternas...

Um bjinho

M. disse...

Que ternura, Gisele! E Helena está linda! Parabéns.

Sonia disse...

Que bom ser recebida em minha reentrada pela sua doce Helena.

Leticia Gabian disse...

Que linda!!!!
Como já passei por isso, sei bem o que sente. Curta intensamente todos os momentos. Eles crescem muito rápido. O meu já está com 23 anos. Parece que foi ontem...

Beijão

luis manoel siqueira disse...

bonita como a mãe !
Luis manoel siqueira