sexta-feira, 11 de agosto de 2006

Patchwork


O mundo e seus retalhos,
Quentes de cruzeiros e canhões.
Frios, de pólos e expirares.
E destoantes.
Pacíficos. Sangrentos,
Rios. Água, de beber e de lavar.
Sangue de arrancar e de doar.
E contenções.
Mapas de excursões e de ataques.
Números de lucro e de circo.
Moedas de corromper e conquistar.
E corpos de beijar, corpos a encontrar,
Línguas que se unem e separam.
Sexos tantos.
Leis de imposição e salvação.
Ou caos.
O mundo e seus retalhos,
costurados com a linha do absurdo.

2 comentários:

M. disse...

Tens razão, o mundo enlouqueceu nesta loucura de absurdo! Muito bom este seu texto.

Cristiano Contreiras disse...

Triste isso.
O Mundo e suas dores diversas, dores.