quarta-feira, 9 de agosto de 2006

Felicidades.


No arrasto das chinelas,
No eco das panelas,
No assobio das telhas,
Entre o arrepio dos rasgos das roupas,
E na solidão daquela distância,
Percebeu-se feliz,
Bem feliz.

5 comentários:

greentea disse...

quando tiver dúvidas já sei onde vir tirá-las... beijinhos para ti

Thiago Quintella disse...

Felicidade.... sempre!!!! é o caminho!

Leticia Gabian disse...

Dá pra ser feliz mesmo vivendo uma vida (aparentemente) sem poesia.
Há muito que se aprender com essa gente de vida simples, mas de sabedoria imensa.

Adorei a minha visita. Um abraço.

M. disse...

"Entre o arrepio dos rasgos das roupas,
E na solidão daquela distância": Lindíssimo! Lindíssimo!

sofyatzi disse...

E porque a felicidade é um conceito tão diferente em cada pessoa, há quem consiga ser feliz apenas com um sorriso ;)

Beijinhos