quinta-feira, 24 de agosto de 2006

Duelo.


Éramos os extremos de um duelo,
Eu e aqueles dois selos imensos,
Fixos nos meus descrentes olhos...
O silêncio pastava lentamente no meu peito,
Vapores do dia,
Vapores de mim,
Medo, fascínio e ternura...
No couro da deusa,
Gravou-se meu pasmar, meu deslumbre,
Sob suas patas jaziam meus anos urbanos
De suas tetas, jorrava meu renascer
Estava refeita.

7 comentários:

Anonymous disse...

Que bom voltar aqui !

Adoro beber vinho de qualidade.

Um beijo.

Luis Manoel Siqueira
www.assumpreto.zip.net

M. disse...

Tens um desafio no meu outro blog www.outrostemas.blogspot.com.

luis manoel siqueira disse...

Gisele
Eu queria mandar um presente pra tua filha.
Preciso de algum endereço teu por ai. Vai pelo correio.
Um beijo.
Luis Manoel
alcantilado@hotmail.com

Thiago Quintella disse...

E quem venceu o duelo???

Ghiza Rocha disse...

A vaca.

sofyatzi disse...

Estava refeita.- E ainda bem, que nestas coisas de duelos..é complicado refazermo-nos ;)

Beijocas ;)

Leticia Gabian disse...

Ainda que tenha perdido o duelo, saiu de lá refeita. é o que importa.
Abração pra ti e beijos na filhota.