sábado, 26 de agosto de 2006

Desigualdades...



Meus desejos são feito corrosão,
Ferrugem maldita
Esfarelando-se na minha rotina,
Nas minhas ilusões,
No meu vestido...
São pegadas em calçada incógnita
De passeio algum...
Cicatrizes engolidas por cadernos secretos...
Bilhetes no espelho do passado,

Meus desejos são a nascente das minhas histórias não contadas...

3 comentários:

Leticia Gabian disse...

inesperadamente, os nossos desejos deixam de ser "bilhetes no espelho do passado" e passam a ser histórias de viver no agora.
Abração pra ti.

André disse...

gostei do poema e das fotos!

avelana disse...

gostei de vir até aqui, mas sou de bem longe...