sábado, 8 de julho de 2006

Cativeiro.


Sou sufocada por palavras que não existem,
Frases mudas de meus olhos,
Estáticos numa tela onde transpareço o que não sou.
Não devolverei nenhum dos seus sorrisos,
Com os quais fabriquei minha alegria,
Nenhum dos seus beijos,
Que transformei em mel colorido,
E nenhuma das fotografias,
Delatoras de sonhos cometidos.
Fábulas secretas
Isentam minha poesia de rima.
Trancarei todas as nossas noites,
Com lacre dourado,
Nos esconderijos das minhas entrelinhas...

3 comentários:

M. disse...

A cor do calor também aqui... Bonitas a imagem e as palavras, verso a verso. Nem sei qual escolher, fico com todos.
Beijo.

Adriana Vianna disse...

Gostei Ghiza, gostei muito.

Lena Casas novas disse...

ÉSSE BLOG É UM DOS MEUS, POIS SOU UMA POETISA QUE VALORIZA OUTRAS POESIAS.

AH, DÁ UMA PASSADINHA LÁ NO MEU