sábado, 17 de junho de 2006

Sabores.


“depois da queda o coice...”
(Herbert Vianna)

...E só então aprender a voar.
Para além das minhas tão restritas fronteiras,
Reflexo de cisne do falso pato,
Descobrir-me tão maior
mais excitante,
Descobrir-me imensa,
Assaltada por coragem própria e incomum
Vencedora das minhas pequenezas,

Com sabor de tripúdio particular,
Posso guardar-me numa gaveta
Ou desfilar em passarela encantada,
E posso nada fazer.
Fui tocada por uma espécie de santo,
como beato cego,que crê no que só sentiu
E nada viu...


Apenas inflei, e me percebi distante de tudo que eu era,
Distante de todos...
Abandonei-me...
Deixando que os êxtases dessa liberdade me guiassem
em novíssimo paraíso

Permaneceu-me apenas um gosto de café...

2 comentários:

M. disse...

Ah o "sabor" de um bebé nos nossos braços! Os meus já são adultos, mas é bom na mesma :-). Diferente, uma continuação, um prazer. Desejo tudo de bom!
Um beijo grande.

Galeria Colectiva disse...

nada mau o gosto a café!