sexta-feira, 30 de junho de 2006

Inverno.



Nos meus invernos particulares
Refugio-me em cores lindas,
Abrigos sonhadores
Onde busco parte de mim,
Esquecida em canção e retrato

Espero por toda fruta, toda lã,
Todo vendaval
Para repor o que se era
Toda folha, toda lenha,
Toda tarde
Para me esconder dessa ausência
Que tu insistes em me condenar...

7 comentários:

Sonia disse...

A vontade de simplesmente não dizer nada, como se a alma dissesse “quero sentir”.
Tenho a maior dificuldade - acho que já disse isto aqui - em comentar poesia. Então roubei a frase acima lá no blogue do Samarone (Estuário).

greentea disse...

e essa menina como vai???

tens de fazer um slideshow para a conhecermos .

beijinhos e tudo a correr bem.

Miss_Lex ® disse...

Caríssima, Miss_Lex ® considera - perdoe-me o trocadilho inevitável, não estou mui inveniva hoje - o luso Figo já um tanto passado. E sempre mal-humorado, oh my...

c. disse...

miss_Lex ®, a louca, se foi. assim pude eu aqui vir.

assaltaste-me as emoções: belas letras as tuas.

:O)

André Gabriel disse...

d+!!! gostaria q o inverno me inspirasse assim tbem...o que não acontece..rs...parabéns...

Anonymous disse...

ah, menina, que bonito é isso aqui! essas imagens, os textos do lado. a sensação. cada pedacinho pensado por você pra gente que lê. como se esse texto do lado desses amassados surgissem na minha cabeça feito um quarto, à minha maneira. eu na cama. e mais alguém. embrulhados? a imaginação sempre ganhando asas de anjo.
:*
adorei a visita, e é claro que eu vim fuxicar você ;)
Pérola, do lixoepurpurina.blogger.com.br...

Galeria Colectiva disse...

exactamente