sexta-feira, 2 de junho de 2006

Curtida.




Buscava um sabor do interior
Interior da terra, do boi, e alma...
Buscava aquela cerca, queijo e mato.
Interior do rio, do ovo, e sonho...
Apareceu-me no verso sentado em soleira,
Nas palavras violeiras de caboclo rimado,
Em tranças de cabelo cantado...

Nos olhos da coruja estrelada
Em noite de fogueira adoçada,
Tornei-me caipira enraizada...

4 comentários:

M. disse...

É sempre um prazer receber-te. :-)
E que dizer deste "verso sentado em soleira" e "tranças de cabelo cantado"? Belíssimo! E a imagem... De quem é?

Pat! disse...

êta trem bão de mais da conta, sô!!

Ghiza Rocha disse...

Putz, a imagem... bem... as imagens deste blog eu surrupio do google... assim, ao léo... falando sinceramente EU ROUBO do pessoal da rede... rs* e nem sempre olho (aliás também nem sempre tem créditos) os creditos das imagens... espero que ninguém me processe... rs*

Sonia disse...

Eu, ainda bem, nunca abandonei meu lado caipira, que continua enraizado; sou assim meio caipira, meio cosmopolita.