terça-feira, 23 de maio de 2006

Ayabá.


Não me assustarias se me aparecesses luz,
Exausta de tanto te arrebentares em ti mesma,
Abdicarias de toda matéria
Já gasta pelos teus incandescentes rompantes
E transformarias teu cansaço em brilho fascinante,
Cegando toda ignorância,
Tu te tornarias mais que uma mulher,
Mais que um nome,
Serias raio vermelho,
Estrondo luminoso,
Que de tão breve,
Passarias inédita aos olhos ordinários do resto do mundo...

Nenhum comentário: