sábado, 8 de abril de 2006

Helena.


Por ti viro morada,
Abrigo da sua trajetória.
Estalo ardida e efervescente
nos meus sonhos tão individuais...
Expando corpo etéreo e físico
Ao perceber que tu és maior,
bem maior do que eu te fiz...
Teço linhas e tramas
para me sustentarem nesse mistério
onde nada enxergo, mas tu me vês inteira.
Te faço, te carrego, te alimento...
Em troca,
tu me trazes todas as maravilhas do universo
Numa eterna dívida mútua,
onde a criatura há muito já decifrou o criador...

Um comentário:

Vera Cardoni disse...

Ai Helena, que sejas tão bem vinda bebezinha. Me intitulo tua tia virtual, posso? E agora, a licença já está rolando? Sabe que eu adorei ser grávida e ter filhos e estar vendo eles crescendo... Como diziam as mulheres de antigamente, " que voces tenham uma boa hora". beijo