segunda-feira, 20 de março de 2006

Descompasso.


Naquele dia
Alguma palavra desafinou
Algum dicionário se alterou
Falei e ninguém entendeu,
Escrevi, ninguém decifrou...
Quando me calei, fui apontada,
Como aberração cuspida no altar dos homogêneos.

Virei um aborto,
Um tiro infeliz que saiu de arma falida,
Ponto final daquilo que ninguém começou,
Vaso inútil no canto da sala,
aos olhos daqueles prisioneiros de cárceres emplumados, cegos pelos seus espelhos particulares,
que,
cimentados em trono obtuso,
Aguardavam meu próximo ato.

Nenhum comentário: