domingo, 30 de outubro de 2005

Comer maçã.


Poetizar a vida é como enfeitar flor, fica com aquele jeito de redundância, de sobrescrito... parece que estou desperdiçando tempo e palavra.A vida tem se apresentado de forma tão deliciosamente singela, passageira e leve que está meio óbvio que fui eu (ô bichinho burro), que por não entende-la, passei muitos anos estragando tudo.
Gastei tanto tempo me preocupando com pequenezas, datas, quantidades, tamanhos, valores, profundidades, distâncias, cores e formas que nem notei o gigantismo do que me ocorria...
Gigante formoso, com ares de fantástico, apresentação etérea do que sempre quis ver, tocar...
Confirmação de sonho hipotético, delírio de criança... a vida tem se apresentado exatamente como eu imaginava quando menina,
mas preferi cair nas armadilhas da minha ignorância e passei muitas eras dentro da minha pretensa sabedoria...
A vida tem me parecido bem simples...
igual àquelas duas meninas que ontem comiam maçã no ônibus.

2 comentários:

Anônimo disse...

This definitely makes perfect sense to anyone!

Anônimo disse...

I couldn't agree with you more!